• Font size:
  • Decrease
  • Reset
  • Increase

Mitos e Verdades Sobre a Reencarnação

OQueOsEspiritosDizem.com.br_Mitos-e-Verdades-REENCARNACAO

O que é “Erraticidade”? O que são “Espíritos Errantes”?

Para onde os Espíritos vão, depois que desencarnam?

Qual o intervalo entre as reencarnações?

Quantas vezes um Espírito reencarna na Terra? Há um limite?

Depois da Terra, onde os Espíritos reencarnarão?

Muito se fala a esse respeito. Kardec tratou do tema no Evangelho Segundo o Espiritismo, no Livro dos Espíritos e também no livro O Céu e o Inferno.

Vamos refletir sobre cada uma dessas questões, para saber o que é Mito, e o que é Verdade, dentro da Doutrina dos Espíritos.

LEIA MAIS

 

 

MITOS E VERDADES SOBRE REENCARNAÇÃO

O QUE É A ERRATICIDADE? O QUE SÃO "ESPÍRITOS ERRANTES"?

O Capítulo XXXII do Livro dos Médiuns, Kardec nos traz o Vocabulário Espírita.  Lá, encontramos a definição do termo “Erraticidade”, a saber: "situação dos Espíritos errantes, quer dizer - não encarnados - durante os intervalos de suas existências corporais."

O termo “Espíritos errantes”, portanto,  não tem a ver com “erro”,  e sim com a “condição de estar desencarnado.”

Nas obras de Kardec, encontramos muitas vezes o termo “erraticidade”, que indica “estado dos espíritos durante os intervalos entre as encarnações”. Espíritos “na erraticidade” são espíritos que se encontram “entre uma encarnação e outra”.

Na questão 226 do Livro dos Espíritos, Kardec pergunta: Pode-se dizer que todos os Espíritos não encarnados são errantes?

E a resposta dos Espíritos foi:

"Os que devem reencarnar-se, sim. Mas os Espíritos Puros, que chegaram à perfeição, não são errantes: seu estado é definitivo".

Explicação de Kardec:

"No tocante às suas qualidades íntimas, os Espíritos pertencem a diferentes ordens ou graus, pelos quais passam sucessivamente, à medida que se purificam (ver Escala Espírita, Item 100 do Livro dos Espíritos).
No tocante ao estado, podem ser:
Encarnados, ou seja, ligados a um corpo material;
Errantes, ou desligados do corpo material e esperando por uma nova encarnação para se melhorarem;
Espíritos Puros ou Perfeitos: os que não tem mais necessidade de encarnação."

Portanto, ao desencarnarmos, nos encontraremos na “erraticidade”. Note-se que “estar na erraticidade” não se refere a um lugar, e sim a uma condição (a de espíritos desencarnados, esperando por nova encarnação).

Encontramos também a definição do termo “Erraticidade” no livro “Instruções Práticas Sobre as Manifestações Espíritas”, de Allan Kardec, publicado em 1858, um ano após a primeira edição de O Livro dos Espíritos. O livro “Introdução ao Espiritismo”, organizado por José Herculano Pires, traz em um só volume, este e outros dois livros pouco conhecidos de Kardec: “O Espiritismo na Sua Mais Simples Expressão” e “O Que É O Espiritismo”.

No livro “Instruções Práticas Sobre as Manifestações Espíritas”, encontramos uma definição mais completa do termo “erraticidade”, a saber:

“Estado dos Espíritos errantes, isto é, não encarnados, durante os intervalos de suas diversas existências corpóreas. A erraticidade não é um sinal absoluto de inferioridade para os Espíritos. Há Espíritos errantes de todas as classes, salvo os da Primeira Ordem, ou  Espíritos Puros, que não tendo mais que reencarnar, não podem ser considerados como errantes. Os Espíritos Errantes são felizes ou infelizes, segundo o grau de sua purificação. É nesse estado que o Espírito, tendo despido o véu material do corpo, reconhece suas existências anteriores e os erros que o afastam da perfeição e da felicidade infinita. É então que ele escolhe novas provas, a fim e avançar mais depressa.”

Ou seja: não existe a ideia de “inatividade” para o espírito. Tampouco a de “contemplação eterna”. O Espírito não morre, e mesmo não estando revestido da veste carnal, ele continua evoluindo no Plano Espiritual, durante o período de erraticidade. É aí que ele retoma a lembrança do passado, analisa seus progressos e fracassos nas encarnações sucessivas, e prepara-se para novas provas, que ele mesmo escolhe, a fim de progredir.

Na erraticidade o Espírito reencontra afetos e desafetos, e os grupos se reúnem e se preparam para novos desafios terrenos. É por isso que se diz que há uma “pré-programação” para o Espírito, que deve sofrer provas ou expiações que ele mesmo escolheu, pois sabe que elas irão lhe trazer o APRENDIZADO NECESSÁRIO para sua evolução espiritual. É o “remédio amargo”, que causa um desconforto passageiro, mas que conduz à cura do Espírito.

PARA ONDE VÃO OS ESPÍRITOS QUE SE ENCONTRAM NA ERRATICIDADE?

No item II do mesmo capítulo do Livro dos Espíritos (Cap. VI – Vida Espírita), Kardec faz a seguinte pergunta:

Questão 234: Existem, como foi dito, mundos que servem de estações ou de lugares de repouso aos Espíritos errantes?

E os Espíritos responderam: 

"Sim, há mundos particularmente destinados aos seres errantes, mundos que eles podem habitar temporariamente, espécies de acampamentos, de lugares em que possam repousar de erraticidades muito longas, que são sempre um pouco penosas. São posições intermediárias entre os outros mundos, graduados de acordo com a natureza dos Espíritos que podem atingi-los e que neles gozam de maior ou menor bem estar".

COMO INTERPRETAR ISSO?

Da mesma forma que a Terra é um mundo que abriga Espíritos encarnados, em determinado grau de evolução, há mundos destinados a abrigar Espíritos na erraticidade (ou seja, preparando-se para reencarnar). Também estes mundos têm diferentes níveis de evolução, pois abrigam Espíritos de diferentes graus de adiantamento moral e intelectual. (Ver O Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. III, item 19, mensagem de Santo Agostinho: Progressão dos Mundos).

 

QUANTAS VEZES UM ESPÍRITO REENCARNA NA TERRA? HÁ UM LIMITE?

Não existe um limite; a reencarnação na Terra, ou em outros mundos, está diretamente relacionada com o grau de evolução do Espírito, e não no número de vezes que ele já encarnou.

Todos nós estamos destinados ao progresso, e nossas vidas sucessivas são os meios que Deus nos oferece para vivenciarmos os aprendizados, e assim depurar o Espírito. Há Espíritos que avançam mais rapidamente; há os Espíritos recalcitrantes, empedernidos, obstinados no mal. Esses, progridem com maior lentidão, e precisam passar por mais provas e expiações, do que o Espírito que se dedica à trilha do bem, e ao seu adiantamento moral e intelectual.

O reencarne na Terra também obedece o mesmo princípio, de evolução do Espírito. Aquele que já progrediu, pode passar a um mundo mais evoluído que a Terra; e o Espírito recalcitrante pode ter que reencarnar em um mundo inferior, o que para ele é motivo de sofrimento.

No Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. III, Há Muitas Moradas Na Casa de Meu Pai,  encontramos a seguinte explicação, nos itens 4 e 5:

Diversas Categorias de Mundos Habitados

4 - "...Embora não possamos fazer uma classificação absoluta dos diversos mundos, podemos, pelo menos, considerando o seu estado e o seu destino, com base nos seus aspectos mais destacados, dividi-los assim, de um modo geral:

Mundos Primitivos, onde se verificam as primeiras encarnações da alma humana;
Mundos de Expiação e de Provas, em que o mal predomina;
Mundos Regeneradores, onde as almas que ainda têm o que expiar adquirem novas forças, repousando das fadigas da luta;
Mundos Felizes, onde o bem supera o mal;
Mundos Celestes ou Divinos, morada dos Espíritos purificados, onde o bem reina sem mistura.

A Terra pertence à categoria dos mundos de expiações e de provas, e é por isso que nela está exposto a tantas misérias".

5 - Os Espíritos encarnados num mundo não estão ligados a ele indefinidamente, e não passam nesse mundo por todas as fases do progresso que devem realizar, para chegar à perfeição. Quando atingem o grau de adiantamento necessário, passam para outro mundo mais adiantado, e assim sucessivamente, até chegarem ao estado de Espíritos puros. Os mundos são as estações em que eles encontram os elementos de progresso proporcionais ao seu adiantamento. É para eles uma recompensa passarem a um mundo de ordem mais elevada, como é um castigo prolongarem sua permanência num mundo infeliz, ou serem relegados a um mundo ainda mais infeliz, por se haverem obstinado no mal.*

 

QUAL O INTERVALO ENTRE AS ENCARNAÇÕES?

O intervalo entre as reencarnações obedece ao mesmo princípio, de evolução do Espírito. No Livro dos Espíritos, Cap. VI, Vida Espírita, Kardec faz a seguinte pergunta aos espíritos:

Questão 223: A alma se reencarna imediatamente após a separação do corpo?

E a resposta foi:

“Às vezes, imediatamente, mas na maioria das vezes, depois de intervalos mais ou menos longos. Nos mundos superiores a reencarnação é quase sempre imediata.”

E na questão 224, Kardec indaga:

224. O que é a alma, nos intervalos das encarnações?

       "Espírito errante, que aspira a um novo destino e o espera".

224 – a) Qual poderá ser a duração desses intervalos?

"De algumas horas a alguns milhares de séculos. De resto, não existe, propriamente falando, limite extremo determinado para o estado errante, que pode prolongar-se por muito tempo, mas que nunca é perpétuo. O Espírito tem sempre a oportunidade, cedo ou tarde, de recomeçar uma existência que sirva à purificação das anteriores".

224 – b) Essa  duração está subordinada à vontade do Espírito, ou pode lhe ser imposta como expiação?

"É uma conseqüência do livre-arbítrio. Os Espíritos sabem perfeitamente o que fazem, mas para alguns é também uma punição infligida por Deus. Outros pedem o seu prolongamento para prosseguir estudos que não podem ser feitos com proveito a não ser no estado de Espírito".

REFLEXÕES SOBRE AS RESPOSTAS DOS ESPÍRITOS:

1.   Os Espíritos explicaram que, embora às vezes os espíritos reencarnem imediatamente, na maioria das vezes o reencarne se dá depois de intervalos mais ou menos longos.

2.   O intervalo entre uma encarnação e outra é o que chamamos de “erraticidade” (não se refere a um local, mas a uma condição do espírito).

3.   A duração desse intervalo é uma “consequência” do livre-arbítrio – ou seja: se empregamos mal o nosso livre-arbítrio, podemos ter que permanecer um período mais longo na condição de espíritos errantes, como uma pena imposta por Deus.

4.   O intervalo entre as reencarnações pode ser muito longo, mas nunca eterno. Espíritos dominados por sentimentos de revolta, vingança, ódio, cobiça, inveja, ciúme, orgulho, egoísmo, acabam por não aproveitar o tempo na erraticidade para aprender e progredir. Esses sentimentos, aliás, são os que impedem o nosso progresso aqui na Terra, também. É por isso que temos que lutar contra eles, e vencê-los, para que eles não se tornem motivo de nossas quedas, e tragam, como consequência, sofrimento para o Espírito em vida, e além da vida.

5.   Mas Deus não quer que suas criaturas sofram para sempre, e cedo ou tarde, o Espírito acorda para os seus compromissos espirituais, arrepende-se de seus erros, compreende que perdeu muito tempo preso a sentimentos inferiores, e pede uma nova encarnação, para reparar os males que tenha causado, e para passar pelas provas necessárias à sua evolução.

6.   Embora no estado de erraticidade, o Espírito continue progredindo, se assim o quiser, é através das vidas sucessivas que ele vivencia todo o aprendizado adquirido na erraticidade. Portanto, o Espírito precisa reencarnar. Cabe ao próprio espírito, que tem o livre-arbítrio, trabalhar pelo seu progresso, vencendo em si mesmo todos os sentimentos que são motivos de sua queda moral.

7.   A designação do mundo que nos abrigará na erraticidade, e do mundo no qual deveremos reencarnar, está diretamente relacionada com nossa “evolução” moral e espiritual. Da mesma forma, o número de reencarnações e a duração entre as encarnações. Não há espaços delimitados, número programado de encarnações, prazos pré-estabelecidos, duração mínima e máxima na erraticidade. Está tudo diretamente relacionado com o progresso do espírito, com seus esforços e sua predisposição no sentido de evoluir e aprender, e sua dedicação à causa do Bem.

8.   Deus nos concedeu o livre-arbítrio, para que cada Espírito possa decidir os caminhos que irá percorrer, até atingir o estado de Espírito Puro. Em casos extremos, os espíritos recalcitrantes são sujeitos às reencarnações compulsórias, e não podem opinar sobre quando, como e onde irão reencarnar.

9.   Mas, via de regra, nós participamos dessas escolhas, pois durante nossos períodos na erraticidade recobramos a lembrança de nossas existências anteriores, e analisamos onde progredimos e onde ainda precisamos melhorar, e Deus nos concede a oportunidade de reencarnamos no lugar adequado, nas condições ideais, com as pessoas certas, para que possamos passar pelas provas necessárias ao nosso aprendizado e crescimento. Não existe o acaso na casa do Pai. Portanto, nada de queixas...

SOBRE OS MITOS E AS VERDADES

Há teorias que não tem nenhum embasamento em Kardec, que definem a média de tempo entre as encarnações, o número de reencarnações na Terra, e indicam até diferentes Planos, como um "roteiro" para a evolução do Espírito. Quanto desconhecimento de Kardec...

Outro dia, por exemplo, em uma palestra (vejam vocês...) ouvi o palestrante dizer que “a média entre encarnações é de 250 anos”, segundo pesquisas "científicas" de um pesquisador espírita. Teoria totalmente infundada, que muito se distancia de tudo o que Kardec e os Espíritos Superiores nos trouxeram.

Deus nos deu o livre-arbítrio. Deus respeita o nosso livre-arbítrio. Se cada Espírito evolui a seu passo, a seu tempo, como estabelecer prazos? O próprio Livro dos Espíritos diz, claramente, que "esse tempo pode ser de horas, ou séculos". E como estabelecer um número fixo de encarnações para um Espírito? Isso vai contra tudo o que os Espíritos nos ensinaram, através da obra de Kardec.

Não há autor espírita cuja obra não deva passar pelo crivo da razão, e cujas afirmações não devam ser confrontadas com os ensinamentos dos Espíritos, que nos foram dados através das obras de Kardec.  

Por isso, é mais sensato para todos aqueles comprometidos com a Verdade e com a causa espírita, sejam eles palestrantes espíritas, médiuns, frequentadores de Casas Espíritas e a todos os que desejam difundir o espiritismo, que façam uma pesquisa EM KARDEC, antes de disseminar informações que mais confundem, do que esclarecem, e que prestam um desserviço à Doutrina Espírita, colocando-a no campo do maravilhoso e do sobrenatural.

Essas teorias fantasiosas iludem, e não aclaram – impressionam, mas em nada contribuem para dissipar o véu da ignorância que é um entrave para o progresso do Espírito.

“Espíritas, amai-vos, eis o primeiro mandamento. Instrui-vos, eis o segundo.”

*os grifos são meus

por Liz Bittar, em 20/08/2013

 

O Livro dos Médiuns está disponível no endereço http://livrodosmediuns.wordpress.com
O item VOCABULÁRIO ESPÍRITA encontra-se no link http://livrodosmediuns.wordpress.com/2a-parte-das-manifestacoes-espiritas/cap-32-vocabulario-espirita/

O Livro dos Espíritos está disponível no endereço http://livrodosespiritos.wordpress.com
O item VIDA ESPÍRITA - ESPÍRITOS ERRANTES encontra-se no link http://livrodosespiritos.wordpress.com/mundo-dos-espiritos/cap-6-vida-espirita/i-espiritos-errantes/
O item VIDA ESPÍRITA - MUNDOS TRANSITÓRIOS encontra-se no link http://livrodosespiritos.wordpress.com/mundo-dos-espiritos/cap-6-vida-espirita/ii-mundos-transitorios/
O item ESCALA ESPÍRITA encontra-se no link http://livrodosespiritos.wordpress.com/mundo-dos-espiritos/cap-1-dos-espiritos/vi-escala-espirita/

O Evangelho Segundo o Espiritismo está disponível  no endereço http://evangelhoespirita.wordpress.com
O item PROGRESSÃO DOS MUNDOS encontra-se no link http://evangelhoespirita.wordpress.com/capitulos-1-a-27/cap-3-ha-muitas-moradas-na-casa-de-meu-pai/instrucoes-dos-espiritos/iii-progressao-dos-mundos/
Os itens 4 e 5 do tópico DIVERSAS CATEGORIAS DE MUNDOS HABITADOS encontram-se no link http://evangelhoespirita.wordpress.com/capitulos-1-a-27/cap-3-ha-muitas-moradas-na-casa-de-meu-pai/diversas-categorias-de-mundos-habitados/

 

por Liz Bittar, em 20/08/2013
Todos os textos, áudios e artigos do site O Que Os Espíritos Dizem têm o intuito exclusivo de estudar e divulgar a doutrina espírita. A veiculação destes materiais é livre, desde para fins de estudo, pesquisa e divulgação do espiritismo. A comercialização de qualquer um desses materiais e conteúdos é proibida. Ao inserir áudios e textos de O Que Os Espíritos Dizem no seu site, por favor lembre-se de citar a fonte, a autoria e o endereço do site www.oqueosespiritosdizem.com.br
Obrigada
 

Subscribe via RSS or Email:

 

Add comment

Perguntas e comentários sobre o estudo da Doutrina Espírita serão postados e respondidos. Quaisquer outros comentários não serão publicados.


Security code
Refresh

O Que Os Espíritos Dizem em MP3

RECEBA ATUALIZAÇÕES POR EMAIL

Assine para receber nossas atualizações por email:

Delivered by FeedBurner

http://feedburner.google.com/fb/a/mailverify?uri=OQueOsEspiritosDizem&loc=pt_BR CURTA A NOSSA PÁGINA GOOGLE + SIGA-NOS NO TWITTER ASSINE PARA RECEBER ATUALIZAÇÕES POR EMAIL
  • Reflexões
Febemzinho

Febemzinho

Reflexões, por Liz Bittar

Saudável Vaidade

Saudável Vaidade

Reflexões, por Liz Bittar

E Se Fosse Comigo?

E Se Fosse Comigo?

Reflexões, por Liz Bittar

Abençoado Perrengue

Abençoado Perrengue

Reflexões, por Liz Bittar

Células Tronco: Quando Começa a Vida?

Células Tronco: Quando Começa a Vida?

Reflexões, por Liz Bittar

Ante a Dor e a Morte

Ante a Dor e a Morte

Reflexões, por Liz Bittar

  OQueOsEspiritosDizem.com.br_MitoseVerdades   OQueOsEspiritosDizem.com.br_Resumo_LivrodosMediuns

 

 OQueOsEspiritosDizem.com.br_Audios   OQueOsEspiritosDizem.com.br_Doutrinacao

   OQueOsEspiritosDizem.com.br_OPasse     OQueOsEspiritosDizem.com.br_PorQueDeusNosFazSofrer

 

 

Espiritismo: Mitos e Verdades

Muito se ouve falar sobre Espiritismo, e especialmente sobre a influência dos Espíritos. Com tantas teorias que se ouvem por aí, o que é Mito e o que é Verdade, segundo Allan Kardec? LEIA MAIS

Downloads

OQueOsEspiritosDizem.com.br_Downloads

 

Material para download disponível AQUI

Livros Que Eu Recomendo

 

OQueOsEspiritosDizem.com.br_LivrosQueEuRecomendoImpossível falar de espiritismo sem antes ler a obra de ALLAN KARDEC. Portanto, se você quiser conhecer um pouco sobre espiritismo, e saber como se dão as relações entre o mundo carnal e o mundo espiritual, eis uma relação de livros AQUI começando pelas obras de Kardec.